Sob Dilma, qualidade de vida melhora, mas em ritmo menor, diz estudo

sala-de-aula-lousa-escola-publica-1381522062559_615x300UOL – O ritmo da melhora dos indicadores sociais do Brasil diminuiu durante os quatro primeiros anos do governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), mas a qualidade de vida no país entre 2011 e 2014 melhorou, segundo estudo divulgado nesta terça-feira (22) por Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e Fundação João Pinheiro. Entre os fatores que mais contribuíram para a melhora do desenvolvimento humano no país no período pesquisado estão o aumento da renda per capita e o aumento da expectativa de vida.

O Radar IDHM é um estudo que compara 60 indicadores sociais produzidos pela Pnad (Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios), feita anualmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) é um índice criado em 2013 para avaliar a qualidade de vida nos municípios brasileiros e é composto por três grandes sub-índices: o IDHM-Longevidade reúne dados como a esperança de vida ao nascer e a mortalidade infantil; o IDHM-Renda avalia itens como renda per capita e população em situação de vulnerabilidade; já o IDHM-Educação avalia índices como percentual da população acima de 18 anos com ensino fundamental completo e proporção de crianças entre cinco e seis anos de idade frequentando a escola.

Continue lendo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.