Desvio de recursos da COSIP configura prática de improbidade administrativa

A Contribuição para o Custeio do Serviço de Iluminação Pública (COSIP) é um imposto pago pelo cidadão, junto com a fatura da energia elétrica, e administrado pela Prefeitura Municipal.

Com esses recursos, o Município coordena os investimentos de instalação, manutenção e ampliação da iluminação pública da cidade. A utilização desses recursos com outras finalidades pode ser entendida como improbidade administrativa.

Em Caicó, a base aliada do governo municipal anuncia que a Prefeitura pretende investir os recursos da COSIP para a construção do anel viário do bairro Walfredo Gurgel. A afirmação foi feita pelo vereador Sandoval, no plenário da Câmara Municipal. Segundo esse vereador, mensalmente sobram recursos da ordem de R$ 20 mil que seriam investidos nessa obra.

O vereador Cláudio Sandêgi (PV) reagiu à declaração do parlamentar, ressaltando que investir os recursos da COSIP em obras como o anel viário é desvio de função, o que pode acarretar em prática de improbidade administrativa do prefeito Bibi Costa.

Segundo Cláudio Sandêgi, o desmando toma conta da administração municipal. “É preciso uma resposta rápida. Além da COSIP estar irregular, o desvio de recursos para outros fins não se justifica”, argumentou o vereador.  O parlamentar do PV ressaltou que, em Caicó, sobra dinheiro e falta iluminação, citando que no Município várias ruas enfrentam problemas desse tipo. “Fazem política com o que se paga e ainda assim ter que ouvir tamanha aberração. É tudo muito lamentável”, classificou.

Cláudio Sandêgi ressaltou que encaminhará a questão ao Ministério Público. “Já solicitei cópia em vídeo da sessão de quarta-feira. Providências serão tomadas”, destacou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.