Sant’Ana de Caicó. Fé, Devoção, uma religiosidade que ultrapassa o tempo

O que vou escrever aqui não é uma matéria, um artigo. É simplesmente expressando sentimentos e minha fé.

Esse último final de semana foi o encerramento da festa de Sant’Ana de Caicó. Padroeira do município, padroeira do Seridó. Pela situação terrível que passa o nosso município, a região e o Brasil, com uma pandemia de saúde, não teríamos a tradicional procissão de encerramento, todos caminhando ao lado da imagem de nossa padroeira. Eu nunca imaginei, que 48 anos depois, eu não iria ver o que para muitos é a imagem da Senhora Sant’Ana, saindo pela nave principal da catedral, para mim não é só uma imagem, mas, sim o verdadeiro significado de Fé e Devoção, sentido e visto.

Sabendo que isso não aconteceria esse ano, e prevendo uma tristeza enorme dentro de mim, me refugiei em um sitio na zona rural. Amanheci o domingo mais triste ainda, quando recebi a notícia que a procissão aérea por motivos maiores tinha sido cancelada, pouco tempo depois, uma notícia em forma de benção, a imagem primitiva da nossa avó, ia sim, sobrevoar nossa cidade.

Por volta das 17h20, lá onde estava, na zona rural, vejo o avião que carregava a Fé, a Devoção e o Amor de todo os seridoenses. Aquele avião, aquele piloto, nunca fizeram um voo tão cheio de esperança, de fé de amor.

Ao ver o avião, naquele infinito céu azul, fecho os olhos e elevo minhas mãos aos céus. Primeiro agradeço, por todas as bênçãos recebidas, depois peço, “Minha avó, não me deixe fraquejar na minha fé”. Faço minha oração, e ao abrir os olhos, não vejo mais um lindo e infinito céu azul, ao abrir os olhos, vi milhares de pessoas acenando, vi que cada casa, não virou, mas, ficou uma catedral mais forte, na Fé e Na devoção.

Foi junto a natureza, que senti, como nunca tinha sentido na minha vida, o amor e o cuidado que nossa padroeira tem para seus netos.

Se fui para o sitio, para não sentir a tristeza de não poder acenar, ver e acompanhar a imagem da nossa querida padroeira. Foi no silencio da natureza, foi na tristeza do meu coração, que senti a emoção mais forte de fé que já senti na minha vida.

A festa de Sant’Ana de 2020 foi diferente. Foi sim. Mas, foi muito especial, porque foi a renovação, com mais força, mais forte, do nosso amor por Sant’Ana.

A festa de Sant’Ana de 2020, nos trouxe a saudade de rever familiares e amigos. Mas, essa mesma festa, nos provou o quão forte é nosso amor por Sant’Ana, e como tão poderosa é sua proteção para os seridoenses.

Viva Sant’Ana de Caicó! Viva Sant’Ana do Seridó!    

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.