Liga Contra o Câncer inaugura nova ala de pesquisa clínica nesta sexta-feira

Sempre em busca do aperfeiçoamento no tratamento e em fornecer o acesso de novas terapias aos seus pacientes, a Liga Norte Riograndense Contra o Câncer inaugura no próximo dia 6 de dezembro, a partir das 14h, seu novo Centro de Pesquisa Clínica.

A unidade está localizada no Centro Avançado de Oncologia (CECAN) e, após quatro meses de obras, contará com mais de 250m2 de área total, com quatro consultórios, farmácia, setor de quimioterapia, sala de coleta de sangue, processamento de amostras, área administrativa e arquivo.

“O local é destinado ao atendimento de pacientes oncológicos que integram pesquisas clínicas conduzidas pela Liga. O novo espaço foi concebido com foco na segurança e conforto dos pacientes, além da otimização do trabalho assistencial. Teremos novos equipamentos, em um espaço mais estruturado e acolhedor, com capacidade de atendimento ampliada. Desta forma conseguiremos oferecer maior eficiência no serviço com ampla qualificação no atendimento”, disse a coordenadora de pesquisa clínica da LIGA, Patrícia Pascoto.

Com toda sua experiência acumulada ao longo desses 70 anos e sempre focada na conjugação de excelência técnica com o capital humano, sendo referência na democratização do atendimento e ao fácil acesso à medicina especializada, a Liga Contra o Câncer se dedica ao campo da pesquisa clínica há mais de 13 anos, já tendo realizado mais de 100 estudos das mais diferentes patologias.

A instituição e vem obtendo reconhecimento nacional e internacional. Em alguns projetos específicos, como nos estudos ligados ao câncer de próstata, pulmão e mieloma múltiplo, a Liga está entre os maiores recrutadores de casos do mundo, tendo pesquisas publicadas em periódicos indexados de alto fator de impacto, como no New England Journal of Medicine, jornal britânico conhecido como o principal periódico médico do mundo.

O setor de Pesquisa Clínica da Liga possui atualmente 42 trabalhos em andamento e outros já premiados internacionalmente, entre eles estudos com pesquisas voltadas para tratamento com imunoterapias, inclusive um dos maiores avanços em terapia sistêmica na atualidade; o estudo multicêntrico chamado Latitude, com participação de 38 países, que aborda o câncer de próstata metastático e que, depois de sete anos de muita pesquisa, após sua publicação rege condutas novas no tratamento do câncer de próstata e se reverte em beneficio para a sociedade.

“Atualmente, com base no número de pacientes recrutados e incluídos em estudos, estamos entre as três maiores instituições de pesquisa clínica no Brasil. Podemos afirmar, com tranquilidade, que os maiores pesquisadores clínicos do mundo, juntamente com a indústria farmacêutica, são parceiros da Liga. Mantemos pesquisas conjuntas com instituições de diversos países, entre eles as universidades de Oxford, na Inglaterra, e de Sorbonne na França. São estudos que possibilitam o acesso a novos tratamentos, todos de ponta no cenário mundial, que muitas vezes não são viabilizados pelos SUS”.

Sobre a Unidade

O Centro de Pesquisa Clínica da Liga Contra o Câncer (CPC – LIGA) é uma unidade de pesquisa clínica dedicada à investigação na área oncológica. Contando com uma equipe multidisciplinar, especializada e altamente qualificada, tendo como principal objetivo a atenção individualizada de cada paciente participante da pesquisa e um corpo de investigadores clínicos atuando em parceria técnico-cientifica regulamentada na área oncológica, desenvolve todas as etapas de um Estudo Clínico (viabilidade de Ensaio Clínico no centro, protocolo com submissão ao Comitê de Ética em Pesquisa, seja como centro coordenador, ou centro participante, execução do estudo, gerenciamento de dados, monitorias, relatórios e finalização do estudo).

Com mais de 13 anos de experiência, o Centro de Pesquisa Clínica da LIGA apresenta infraestrutura, logística e suporte tecnológico que possibilitam conduzir estudos clínicos dentro de condições ideais, seguindo rigorosamente o manual de Boa Prática Clínicas (BPC) ou Good Clinical Practice (GCP), elaborado pela International Conference on Harmonisation of Technical Requirements for Registration of Pharmaceuticals for Human Use (ICH), além das diretrizes e normativas nacionais regulamentadas pelo Conselho Nacional de Saúde, pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária/Ministério da Saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.