“Abin paralela”: deputados querem derrubar decreto e convocar Heleno

Sob o pretexto de enfrentar “ameaças à segurança e à estabilidade do Estado e da sociedade”, o presidente Jair Bolsonaro alterou a estrutura regimental e organizacional da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). As mudanças autorizam, por exemplo, que pessoas não concursadas possam ser treinadas para trabalhar na agência, o que, na visão de membros da oposição, enfraquece o órgão e mina sua capacidade de traçar estratégias de contrainteligência.

Com a mudança, o chefe do Executivo aumentou o poder do diretor-geral do órgão, Alexandre Ramagem, amigo do presidente e de seus filhos. Ramagem seria o indicado de Bolsonaro para assumir a Polícia Federal, mas após a polêmica gerada pelo conflito de interesses, Bolsonaro recuou.

“Ao mudar a estrutura da Abin, Bolsonaro coloca em prática o seu projeto de usar a instituição como um sistema de informações pessoal. Isso é inaceitável. Isso fere o princípio de que a Abin deve funcionar como órgão de Estado, e não governo. Precisamos derrubar isso o quanto antes”, declarou o líder do PSB na Câmara, Alessandro Molon (RJ), que apresentou um projeto de decreto administrativo (PDL) para derrubar as alterações promovidas pelo presidente da República.

Continue lendo

Gostou? Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Sobre Brasil

Rolar para cima