Conta de energia subiu mais do que o dobro da inflação nos governo, Temer e Bolsonaro

O golpe de estado contra a ex-presidente Dilma Rousseff, que retirou o Brasil do mapa global de investimentos produtivos, também onerou empresas e consumidores na compra de energia elétrica – um insumo básico para o crescimento econômico. “Desde 2015, a conta de luz dos brasileiros subiu mais do que o dobro da inflação. Dados da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel) apontam que a tarifa residencial acumula alta de 114% – ante 48% de inflação no mesmo período, uma diferença de 137%. Além das correções anuais nas tarifas, os últimos anos têm sido marcados pela criação de novos encargos e custos diretamente repassados para os consumidores”, aponta reportagem publicada por Marlla Sabino no jornal Estado de S. Paulo.

“Ex-presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e professor de planejamento energético da UFRJ, Maurício Tolmasquim ressalta que outras medidas aprovadas no Congresso também devem ter impacto negativo sobre o consumidor. Entre elas, a contratação de térmicas a gás onde não há infraestrutura para escoar o insumo, a criação de uma reserva de mercado para pequenas centrais hidrelétricas e a prorrogação de contratos de usinas antigas do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa)”, aponta ainda a reportagem. “Esses ‘jabutis’, fruto da ação de lobbies no Congresso e referendados pelo governo, terão forte impacto sobre o custo futuro da energia”, afirmou Tolmasquim.

Gostou? Compartilhe...

Mais Sobre Brasil

Rolar para cima