Deputada vai à Justiça para evitar posse de Bia Kicis na CCJ

Na ação popular, Melchionna diz que a indicação da governista “viola frontalmente a moralidade administrativa e tem o potencial de causar danos irreparáveis ao patrimônio público, aos direitos humanos e à democracia”.

“A condução diante da comissão mais importante da Câmara dos Deputados pode representar a defesa da constitucionalidade de teses como a intervenção militar, o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo”, afirmou.

O Antagonista

Gostou? Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais Sobre Brasil

Rolar para cima