Dinheiro do Fundeb está sobrando no Piauí, diz governador ao STF

O dinheiro do Fundeb está sobrando no Piauí, segundo o governador, Wellington Dias (PT). Em ação no Supremo, ele pediu autorização para usar no combate à pandemia 35% de um precatório federal bilionário que o estado recebeu para investir em educação. Hoje, a mulher do governador, a deputada Rejane Dias (PT-PI), foi alvo de operação da Polícia Federal por desvio de dinheiro do transporte escolar.

No fim de junho, o Piauí conseguiu na Justiça Federal a liberação de R$ 1,6 bilhão do Fundeb. O dinheiro corresponde à correção dos repasses feitos pela União por meio do fundo entre 1998 e 2006. Em 30 de junho, o TRF da 1ª Região deu razão ao Piauí na disputa pelo índice de correção e o estado já recebeu os valores.

Agora, quer autorização para usar R$ 578,2 milhões no combate ao novo coronavírus.

Segundo o governo do Piauí relatou ao Supremo, suas receitas caíram mais de R$ 270 milhões em relação ao ano passado. Mas já foram gastos R$ 292 milhões na saúde por causa da Covid-19.

De acordo com a petição, o Piauí “vive um paradoxo”: enquanto falta dinheiro para enfrentar a pandemia, “sobejam recursos” para a educação. A relatora da ação, ajuizada na quarta passada (22/7), é a ministra Cármen Lúcia.

O Antagonista*

Gostou? Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Sobre Brasil

Rolar para cima