Cine Terreiro encerra edição 2021 com premiação de filmes

Maratona de filmes, oficinas, debates e homenagens marcaram o Cine Terreiro, que encerrou nesse domingo, 18 de abril, numa versão virtual patrocinada pela Lei Aldir Blanc. O festival tem uma narrativa especial de enaltecer e prestigiar o patrimônio imaterial de matriz afro-brasileira e indígena, utilizando a exibição de filmes relacionados a essas temáticas como motor para enriquecer o respeito e pertencimento a essas culturas.

A mostra competitiva principal do festival – Mostra Mar – premiou o filme “O Jardim Fantástico” com R$ 2.000,00 e o troféu ONA da Onã Jóias D’orisà. O filme reconecta, por meio de seus protagonistas principais, tanto as heranças africanas como indígena, nascedouros das matrizes da cultura de terreiro em nosso país, além de apontar uma possibilidade de ligação com o sagrado usando as vertentes de plantas medicinais em um caminho de saúde corporal e iluminação espiritual.

Já a Mostra Grão, direcionada a realizadores iniciantes, elegeu como melhor filme “O Atabaque na Minha Vida”, com premiação de R$ 1.000,00 e troféu ONA. O curta-metragem remete ao grande papel que a musicalidade ocupa nas culturas de terreiro. Nos terreiros, o ritmo continua sendo usado, ao longo dos tempos, para invocar cada entidade, identificar cada segmento religioso, e cada nação, contando suas narrativas e suas histórias, fazendo a conexão com o divino através desta sonoridade.

O fechamento do Festival contou com apresentação artística de Gaby Varela e homenagem a Tiganá Santana, compositor, cantor, instrumentista, poeta, produtor musical, diretor artístico, curador, pesquisador, professor e tradutor, natural de Salvador (Bahia).

“Agradecemos muito ao nosso público que esteve conosco nesses 10 dias de Festival e exibição, assistindo, curtindo, compartilhando… tivemos uma adesão muito grande nesses dias de exibição, de casas religiosas, espaços de expressões do sagrado. Acreditamos no cinema como ferramenta de transformação e desconstrução de preconceitos e contra toda e qualquer intolerância religiosa”, agradece Rodrigo Sena, idealizador do Festival Cine Terreiro

O Cine Terreiro edição 2021 contou com o patrocínio da OÑA, Lei Aldir Blanc, Fundação José Augusto, Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal; apoio da Camará Filmes; produção da BOBOX Produções; e uma realização da ORI Audiovisual e ABOCA Audiovisual. Este projeto foi desenvolvido através do Edital CRIA PARNAMIRIM por meio da Prefeitura de Parnamirim e Fundação de Cultura de Parnamirim.

Gostou? Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Sobre Cultura

Rolar para cima