Rússia “roubou” centenas de aviões comerciais, diz autoridade europeia

Lei de Vladimir Putin permitiu que empresas “nacionalizassem” aeronaves que deveriam ser devolvidas após as sanções pela invasão da Ucrânia.

A Rússia “roubou” centenas de aviões de passageiros, com prejuízo de bilhões de euros para seus arrendadores estrangeiros, depois que Moscou passou a permitir o registro desses aviões em seu território, disseram altos funcionários da Comissão Europeia à agência France Presse.

As sanções aprovadas pela União Europeia em represália à invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro, determinam que as companhias aéreas russas devolvam seus aviões até esta segunda-feira, 28 de março (na foto, o Domodedovo, um dos principais aeroportos de Moscou).

No entanto, segundo uma lei promulgada por Vladimir Putin e publicada em 14 de março, as empresas agora podem registrar na Rússia os aviões que alugam no exterior, para que eles possam voar em território russo.

Essa medida permite que as empresas continuem usando as aeronaves em voos domésticos —se elas voarem para fora da Rússia, serão confiscadas.

“A maioria dos aviões que poderiam voar no exterior é de aeronaves alugadas, que têm origem europeia ou americana e que foram roubadas de seus legítimos proprietários, os arrendadores”, disse o diretor-geral de Transportes da Comissão Europeia, Henrik Hololei.

O Antagonista*

Gostou? Compartilhe...

Mais Sobre Mundo

Rolar para cima