Pesquisa mostra que nordestinos são os que mais sofrem bullying, mas denunciam menos

Pesquisa realizada nos últimos 60 dias mostra que 38% dos nordestinos afirmaram ter sido vítimas, visto ou tomado conhecimento sobre pessoas próximas que foram alvo de bullying. Entre todas as regiões do País, o Nordeste é o que teve mais registro de conhecimento de pessoas que foram alvo de bullying. O dado foi divulgado nesta segunda-feira (28) pela 11ª Edição do Observatório FEBRABAN — Pesquisa FEBRABAN-IPESPE Bullying e Cancelamento: Impacto na Vida dos Brasileiros.

Em resumo, os dados também mostram que as vítimas de bullying preferem adotar o silêncio após sofrerem esse tipo de prática; quando procuram ajuda, preferem recorrer à própria rede onde o bullying ocorreu ou a familiares. Realizada entre os dias 21 de maio e 2 de junho, a pesquisa traça um amplo panorama a respeito do grau de conhecimento dos brasileiros sobre bullying e cancelamento no país.

No Nordeste, 68% afirmam ter a percepção de que as pessoas que sofrem esse tipo de ocorrência preferem ficar caladas; no país, a média dessa constatação é de 62%. Para os entrevistados, as vítimas preferem recorrer às próprias redes sociais em que o cyberbullying ocorreu (23%) ou aos pais, responsáveis ou outros familiares (18%).

Entre as razões que fazem as vítimas de bullying ou cyberbullying não denunciarem nem procurarem ajuda, foram citadas o medo de retaliação (45%), a descrença em obter apoio (44%) e a vergonha (39%).

SAIBA MAIS

Gostou? Compartilhe...

Mais Sobre Nordeste

Rolar para cima