A miopia do Ministério da Saúde

“O Ministério da Saúde foi de uma miopia muito grande em não fazer aposta, em não investir na produção de vacinas antes do registro”, disse Gonzalo Vecina, em entrevista para a BBC.

“Quem fez aposta e correu o risco foram Butatan e Fiocruz, a primeira apostando na Coronavac e a segunda na Oxford-AstraZeneca. A questão agora nem é preço. É ter o produto. É de acesso mesmo.”

Sobre as vacinas de outros laboratórios, ele disse:

“A Sputnik V não terminou de fazer estudo de fase 3. A Índia não terminou a fase 3 para a Covaxin. Tem que terminar e apresentar o resultado, é o padrão internacional. Tem que ter estudo com tamanho razoável, de entre 30 mil a 40 mil pacientes.”

O Antagonista*

Gostou? Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais Sobre Saúde

Rolar para cima