Mais de 200 médicos do RN recomendam ao Conselho Regional de Medicina a suspensão do protocolo sem evidências científicas

Mais de 200 médicos do Rio Grande do Norte divulgaram nesta segunda-feira (20) uma nota pedindo para que o Conselho Regional de Medicina suspenda imediatamente o protocolo divulgado pela entidade em maio de 2020 e adotado pela prefeitura de Natal.

A nota reconhece a liberdade de prescrição do médico, sob amparo da ciência, mas a inadequação de que um órgão fiscalizador possa ter conduta clínica própria. Tal atitude, segundo entendem, violaria a liberdade de prescrição, por nítido conflito de interesses, pois a partir de então existe um protocolo oficial pertencente ao órgão que tem o dever da isenção. Além disso, fazendo uníssono com a SONORTI, os médicos afirmam que a definição de protocolo não é prerrogativa legal do Conselho, mas das Sociedades Médicas de Especialidade, que só podem estabelecer conduta com base na melhor ciência, diz o documento.

Continue lendo

Gostou? Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais Sobre Saúde

Rolar para cima