Pedi a Deus para não morrer’, diz paciente que foi diagnosticado com variante britânica

G1 – Um enfermeiro de Peruíbe, no litoral de São Paulo, que teria contraído a nova variante britânica do coronavírus, conforme informou a prefeitura ao G1, afirmou que teve medo de morrer, após ter 75% do pulmão comprometido. Altair Nonato da Silva, de 45 anos, é considerado o caso confirmado da nova variante na Baixada Santista pela Secretaria Municipal de Saúde, no entanto, a pasta estadual não confirma.

Silva atua como enfermeiro em um hospital na capital paulista. Segundo o laboratório de diagnósticos Dasa, o paciente foi diagnosticado com a mesma cepa que surgiu no Reino Unido. A descoberta foi anunciada na última terça-feira (16) e, em seguida, comunicada ao Instituto Adolfo Lutz e à Vigilância Sanitária.

O profissional conta que a esposa foi a primeira a ter sintomas da doença na residência, no fim de dezembro de 2020. Silva fez o teste e recebeu o diagnóstico positivo no dia 6 de janeiro. Apesar da confirmação, os sintomas começaram depois. Com tosse, dor no corpo, diarreia e febre, ele passou a prestar atenção para ver se tinha piora no quadro.

Acompanhando a situação de casa e sendo medicado, ele teve uma piora significativa, e vendo a mudança na saturação, foi internado no Hospital Regional Jorge Rossmann, em Itanhaém. “Todos esses dias, eu tendo calafrios, sudorese noturna, foram noites horripilantes. Falei para a minha esposa ‘eu vou ter que internar, porque senão eu vou morrer em casa aqui, do seu lado’ “. Ele chegou a ter 75% do pulmão comprometidos e precisou fazer uso de oxigênio.

Continue lendo

Gostou? Compartilhe...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais Sobre Saúde

Rolar para cima